São Paulo, SP, Brazil
Mãe, filha, irmã, amiga, atriz. Escrevo meus pensamentos, minhas angustias, meus encantos e desencantos. Interpreto pessoas, formas, vida. Leio de pouco um tudo e decoro textos, rostos, amores. Viajo distante pra dentro e fora de mim. Meu senso de justiça não permite que eu seja boazinha, mas também não sou má. Acredito sempre que existe recuperação em seres realmente humanos. Apaixono e desapaixono com facilidade, mas amo incondicionalmente. Acredito em fantasias, fadas e tudo que possa fazer bem para a alma, mas elevo meus pensamentos, agradecimentos e desejos a Deus. Cristiane Rosa (A Puguinha)

Publicações

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Na Noite

O Grupo Ruídos surgiu no ano de 2009, no CEU Vila Rubi, localizado na Zona Sul de São Paulo, dentro do Projeto Teatro Vocacional. A partir de vários exercícios e de um trecho de "As cidades e a memória 1" de Ítalo Calvino, surgiu uma imagem que detonaria todo o processo de pesquisa do grupo: "Um homem isolado em seu quarto com medo de baratas que o atormentavam". Partimos então da pergunta: "Quais são as suas baratas?", "O que te incomoda?". Um exercício cênico foi montado e apresentado no final do ano de 2009 e a partir dessas questões e de outras que vêm surgindo, a pesquisa tem sido a colagem e recriação de textos dos Artistas do grupo, Clarice Lispector, Bertolt Brecht e Harold Pinter.

"Um casal com questões individuais perturbadoras tenta manter um relacionamento de 25 anos.
Esses conflitos internos ultrapassam os limites da crueldade, levando o espectador a se questionar o que ele vê mas não enxerga e o que ele tem de tão cruel camuflado. Um processo que não tem pretensões de chegar ao fim e que tende a cutucar e incomodar cada vez mais, mas sempre com um toque sutil que a perversidade pode trazer."
Artista Orientadora: Carmem Soares
Grupo: Carlos Lorenzo, Cristiane Rosa e Maria Nascimento



MOSTRA FINAL REGIONAL TEATRO VOCACIONAL

É, o Vocacional realmente foi uma escola pra mim, nem gosto muito de usar essa palavra escola, mas foi lá ou aqui que eu aprendi e estou aprendendo.

Aprendi que não sou atriz, que sou um ser-humano-criador e que tudo posso mas que não posso fazer qualquer coisa e pode ser até redundante mas qualquer coisa também pode ser desde que você respeite e passe a valorizar o que você gosta e não a criticar o que não gosta.


Esse programa realmente e definitivamente abriu minh'alma para o ser, para o outro e para o potencial de cada um.

Obrigada Programa Vocacional